1976

"O Encouraçado Kotiokim é uma porcaria maluca!" é o grito de libertação de Fantozzi após a enésima exibição do famoso filme O Encouraçado Potemkin, ao qual ele é forçado a assistir. No segundo episódio da saga do contador mais humilhado de todos os tempos, finalmente testemunhamos um ato de coragem: Fantozzi se revolta e faz o Dr. Riccardelli de refém, com trágicas consequências.

Il secondo tragico Fantozzi

O segundo episódio da saga sobre o empregado mais frustrado da Itália é repleto de tiradas cada vez mais exageradas e catastróficas, começando com um tiroteio na cena de abertura e Fantozzi dirigindo na contramão. O ápice da comédia absoluta é alcançado quando Fantozzi é forçado a ir com o duque conde Semenzara ao Cassino de Monte Carlo, servindo de amuleto da sorte, e quando ele participa de um jantar de gala na casa de campo da condessa Serbelloni Mazzanti Vien dal Mare, enfiando tomates inteiros queimados na boca. E as humilhações continuam com o professor Riccardelli obrigando os empregados a comparecerem a maçantes projeções noturnas de filmes de arte até que, em uma dessas sessões, Fantozzi se rebela de forma flagrante: ele sobe no palco e, na frente do público, grita uma de suas frases mais famosas: "Para mim, O Encouraçado Kotiomkin é uma porcaria maluca!" Em seguida, ele faz o professor Riccardelli de refém até que a polícia invada o local 48 horas depois e liberte o homem. Em uma sucessão frenética de situações paradoxais, uma caçada com seu amigo Filini tem um desfecho desastroso. E após deixar a Megaempresa e abandonar sua esposa, Pina, ele esbanja todo seu dinheiro em uma escapada romântica a Capri com a Srta. Silvani. Falido, Fantozzi falha em uma tentativa de suicídio, que inclui se jogar no rio Tibre. Mas um dia ele recebe um telefonema do Megadiretor Galáctico, que inesperadamente lhe oferece um retorno à empresa, "na posição mais alta" que ele poderia desejar: como bode expiatório!

Data de lançamento:

1976