1982

Sordi dirige a si mesmo e a Verdone em uma comédia de viagem sobre um pai e um filho que não poderiam ser mais diferentes. O pai, Armando, é um playboy, amante dos prazeres. Já o filho, Cristiano, é um idealista ingênuo e desajeitado que luta pela proteção das gaivotas. Forçados a viajar juntos, eles acabam se conhecendo melhor e, apesar dos inúmeros conflitos, redescobrem a relação pai-filho.

In viaggio con papà

Cristiano é um jovem ingênuo e idealista, membro de uma comunidade de proteção às gaivotas. Durante uma parada em Roma, ele aproveita para visitar seu pai, Armando, a quem não vê há quase dois anos. O homem é um mulherengo que está prestes a partir para encontrar sua jovem amante. Quando o filho chega, Armando tenta livrar-se dele com o pretexto de uma importante viagem de negócios à Ligúria. Por uma feliz coincidência, Cristiano precisa ir à sua comunidade, na Córsega, então Armando é forçado a lhe dar uma carona. Durante a viagem, Armando tenta continuamente deixar o filho para trás, mas todas as vezes acaba encontrando Cristiano sentado ao seu lado, no banco do carona. Por exemplo, em uma das paradas obrigatórias, Armando encontra uma ex-amante e convence Cristiano a sair com a filha dela e seus amigos, mas a noite acaba sendo um grande fracasso. Armando também sugere que Cristiano fique alguns dias com a mãe. O jovem está convencido de que seus pais ainda estão juntos, mas logo descobrirá a amarga verdade. A jornada continua e, apesar das inúmeras brigas e mal-entendidos, pai e filho aprenderão a se gostar.

Data de lançamento:

1982