Espanha, 1980. Dois inspetores da polícia com pontos de vista políticos opostos são enviados de Madrid para uma cidade remota do sul nas terras pantanosas do rio Guadalquivir para investigar o desaparecimento de duas adolescentes. Numa cidade ainda presa ao passado, eles terão de enfrentar não só um assassino cruel, mas também os seus próprios demónios interiores.

a isla mínima

Espanha, 1980. A democracia ainda é jovem. Numa pequena cidade do sul nos pântanos, uma cidade esquecida pela maioria e ainda presa no passado, duas adolescentes desaparecem durante as festas locais. Ninguém sente a falta delas, pois é comum os jovens da região mudarem de cidade assim que podem em busca de uma vida melhor, e muitos são obrigados a fugir de casa para o conseguir. Rocío, a mãe das adolescentes, convence o juiz local, Andrade, a iniciar uma investigação. Dois inspetores de homicídios, Pedro e Juan, são enviados de Madrid. Eles têm personalidades e abordagens muito diferentes no trabalho. Por motivos diferentes, ambos passam por uma má fase na polícia. Uma greve de agricultores põe em risco a colheita de arroz, a principal fonte de rendimento da cidade. Isso torna-se também um problema para os dois inspetores, pois estão pressionados a encerrar o caso o mais rápido possível. No entanto, a investigação revela o desaparecimento de várias adolescentes na zona nos últimos anos, bem como outra importante fonte de rendimento para a cidade: drogas. Nada é o que parece nesta cidade isolada e introspetiva. A investigação não avança. Nesta situação difícil, Juan e Pedro terão de enfrentar os seus próprios medos, o passado e o futuro. Eles ficarão mais chegados, os seus métodos mais semelhantes. Encontrar o assassino é tudo o que importa.

Data de lançamento:

2014