1988

Verdone realiza esta comédia sobre um reencontro de colegas de liceu. Quinze anos após terminar o liceu, Federica convida os seus antigos colegas de turma para uma luxuosa casa de campo. Todos eles desempenham um papel, fingindo ser algo que não são. O tempo passou e eles sentem-se desiludidos. Eles até podem ter cabelos brancos e uns quilos a mais, mas as dinâmicas do grupo não mudaram.

Compagni di scuola

Inspirado pela experiência pessoal de Verdone, o filme conta, no elenco, com Eleonora Giorgi, Massimo Ghini, Nancy Brilli, Christian De Sica e Athina Cenci, que ganhou um prémio David di Donatello de Melhor Atriz Secundária. Quinze anos após terminar o liceu, a bela Federica convida os seus antigos colegas de turma para a sua luxuosa casa de campo, nos arredores de Roma, para um reencontro. A maioria deles mudou um pouco fisicamente e todos eles se reconhecem, à exceção de Fabris, que é imediatamente gozado. Mesmo passados tantos anos, as dinâmicas do grupo não mudaram e, durante a “chamada”, cada um deles fala do seu trabalho e das suas conquistas a nível profissional e pessoal. Piero, cuja alcunha é “Er Patata”, e que é interpretado por Verdone, é um professor de liceu que tem uma relação com uma das suas alunas e que é atormentado pela sua esposa. Bruno é um cantor fracassado com problemas financeiros. Mauro é um político proeminente. A psicanalista Maria Rita é, atualmente, uma solteirona, e Luca tenta reconquistar a sua ex-mulher, Valeria. Lino chega numa cadeira de rodas acompanhado por Armando, fazendo-se passar por deficiente motor na sequência de um acidente de carro para gozar com os seus antigos colegas de turma nas costas deles. A noite desenrola-se por entre atos desregrados, momentos de melancolia e resolução de conflitos de longa data.

Data de lançamento:

1988