O Faroeste em meados do século XVIII: o chefe Apache Abahachi e o seu irmão de sangue Ranger são responsáveis por manter a paz e a justiça. Mas começam a surgir problemas, quando Abahachi pede dinheiro emprestado aos Shoshone para financiar um novo bar local…

Der Schuh des Manitu

Algures no Faroeste, em meados do século XVIII, fica a terra dos Shoshone, uma tribo que vive em harmonia. Contudo, avistam-se nuvens negras no horizonte! O chefe Abahachi e Ranger (irmãos de sangue do Sul) têm de contar ao chefe dos Shoshone, “Feliz Tritão”, ou melhor, “Feliz Anfíbio”, aliás, não, “Aldrabão Anfíbio”, a notícia triste da morte do seu filho, “Lebre Falsa”. Eles são logo acusados de homicídio e presos a uma estaca como assassinos. Aldrabão Anfíbio também acusa os criminosos de roubarem o seu ouro e exige que lho devolvam. Abahachi tenta explicar desesperadamente… que ele e Ranger planeavam usar o ouro dos Shoshone que levaram emprestado para comprar um bar Apache a Santa Maria, um agente imobiliário do Wyoming. Enquanto as negociações decorriam com Santa Maria, a dupla depressa se apercebeu de que tinha sido enganada e a situação atingiu contornos mortíferos. Na sequência disso, Santa Maria alvejou o filho do chefe dos Shoshone pelas costas, a sangue-frio. O par abrigou-se atrás da porta da taberna e discutiu a situação desafortunada em que se tinha envolvido. Finalmente, quando os nervos deles e os sons de disparos terminaram, aperceberam-se de que os canalhas já tinham escapado. Apenas restou no local o filho morto do chefe. Resumindo: o homem que traiu o povo de Abahachi também assassinou Lebre Falsa - e eis o problema! -, além de ter também roubado o ouro dos Shoshone! Para piorar, Santa Maria aparece de repente do lado de Aldrabão Anfíbio, é um dos amigos dele. Não admira, portanto, que Abahachi e o seu irmão de sangue tenham de ir com os porcos ao amanhecer. Um Apache numa enrascada! Ranger fica furioso e, por mais que Abahachi se desculpe, não servirá de nada. Por fim, decide que já não aguenta mais. Durante dezasseis anos, foi sempre a mesma coisa! Espionagens inúteis, horas passadas a seguir rastos, viagens fúteis a cavalo, lado a lado, para acabarem presos algures constantemente. Para ele, basta! Mas quando o sol nasce, ele muda de ideias. Sobretudo porque Abahachi se lembra, de repente, de um tesouro escondido que poderiam usar para comprar a sua liberdade. O único problema é que o chefe Apache, a quem o avô “Estrela Cinzenta” ensinara a partilhar desde pequeno, rasgou o mapa em quatro partes e, com os copos, distribuiu-as por transeuntes ao calhas. E Abahachi só se lembra de uma das quatro partes do mapa…

Data de lançamento:

2001