1993

Neri Parenti abre o oitavo capítulo da saga de Fantozzi com o funeral de um antigo colega de Ugo. Fantozzi, devido a uma confusão de registos médicos, está convencido de que chegou a sua hora e pensa que ainda tem uma semana de vida. Entre piadas engraçadas e uma nova cumplicidade com a sua esposa, Pina, tenta "desfrutar" dos seus últimos momentos, com os habituais resultados desastrosos.

Fantozzi in Paradiso

Fantozzi é forçado a aceitar a ideia da morte durante o funeral de um antigo colega. Uma ideia que se torna cada vez mais real quando, devido a uma confusão clamorosa de registos médicos, lhe é diagnosticada uma doença terminal que o deixa com apenas sete dias de vida. Ugo decide não contar à sua esposa e reage tentando fazer tudo o que se proibiu ao longo dos anos, como comer gananciosamente quatro quilos de mexilhões e desfigurar as paredes da cidade com escritas obscenas. Pina, que descobriu a doença de Ugo por acaso, decide dar ao seu marido um final feliz. Ela contacta a menina Silvani e paga-lhe para passar uma noite de amor com Fantozzi durante um fim de semana em Cortina d'Ampezzo. Depois da noite de paixão que ele procura há tantos anos, Ugo descobre o esquema de casamenteira de Pina. Ele logo lamenta ter pensado que Silvani era a mulher da sua vida e corre para casa para a sua mulher. Mas as surpresas ainda não acabaram! Num final ousado e divertido, Ugo descobre que não está doente. Ele está tão feliz com a notícia que salta de alegria para a rua e é atropelado por um camião. Agora está realmente morto, mas na vida após a morte, acontece o embuste final: o avião para o céu é desviado e Fantozzi encontra-se na presença de Buda, que condena a sua reencarnação. As coisas não podem ficar piores!

Data de lançamento:

1993