Remake do filme de Tornatore, com Robert De Niro e música de Paul McCartney. Frank, um viúvo reformado, decide visitar cada um dos quatro filhos depois de ter passado muito tempo sem vê-los. Uma reflexão sobre a relação entre pais e filhos e sobre os sacrifícios de um pai e laços familiares, que são indestrutíveis. “Estão Todos bem” pode ser uma ilusão, mas serve para proteger aqueles que amamos.

Stanno tutti bene

Frank trabalhou a vida toda numa fábrica de arame. Agora que se reformou e é viúvo, sente a necessidade de recuperar a relação com os quatro filhos para ver com os próprios olhos se “estão todos bem”. A sua ideia de reunir a família num churrasco não dá certo: cada um dos filhos tem um bom pretexto para não ir. Assim, Frank, apesar da proibição do médico, decide partir e visitá-los de surpresa. Viajando por Nova Iorque, Chicago, Denver e Las Vegas, Frank descobrirá que a vida dos seus filhos é muito diferente daquilo que imaginara. David não é verdadeiramente o pintor reconhecido que alegara ser. Na verdade, tem um problema de toxicodependência e mudou-se para o México, onde morrerá de overdose; Amy, “uma bem-sucedida publicitária”, acabou o seu casamento supostamente estável; Robert, “o maestro”, é um percussionista precário; e Rosie, que é “bailarina numa discoteca de Las Vegas”, é, na verdade, uma mãe solteira homossexual. Onde é que Frank terá errado? Ele perguntá-lo-á à esposa, quando a for visitar ao cemitério. Apesar de se sentirem culpados, os filhos não querem aborrecer o seu pai, que se arrepende de ter perdido muito tempo.

Data de lançamento:

1990